Este óleo sobre tela do expressionista Edvard Munch data de 1894 e é frequentemente relacionado a outra obra do pintor, O Grito, bastante conhecida no mundo das artes e concluída um ano antes. Corpos estáticos, com aparência cadavérica e olhos arregalados, compõem semblantes aflitos que chegam a sugerir uma procissão fúnebre. A sensação de angustia é potencializada pelos tons fortes que compõem o céu, feito com linhas disformes e onduladas. As telas do artista refletem traumas e relações mal resolvidas vividas por ele, que teve uma trajetória marcada por episódios de perturbação mental — uma de suas irmãs foi diagnosticada com uma doença bipolar e o próprio pintor passou dois meses internado para “tratamento nervoso”. O quadro causou escândalo entre alguns críticos do final do século XIX, que não entenderam a dissolução da forma e a estridência das cores apresentadas pelo autor. Atualmente, a pintura integra o acervo do Museu de Munch, em Oslo, na Noruega, terra natal do pintor, que viveu de 1863 a 1944.

Ansiedade, Edvard Munch

Leia Também

Harmonia do sorriso

Harmonia do sorriso

Seguro saúde

Seguro saúde