Nome: Luiz Puntel
Idade: 68 anos
Profissão: professor e escritor

Formado em letras há 40 anos, já foi office boy, escriturário, assistente social e bancário antes de se dedicar exclusivamente às letras, sua paixão. Atualmente, divide seu tempo entre as aulas de português e de oratória em uma oficina que leva seu nome e afirma que são essas atividades as mais prazerosas que já exerceu. Para o professor, ensinar é um ato que vai além da didática, por isso, costuma inserir em suas aulas discussões sociais em destaque no dia a dia. “A finalidade é fazer com que os alunos se aproximem das questões que os rodeiam e, assim, tornem-se cidadãos críticos e com poder de argumentação”, frisa Puntel, que é autor de 13 livros. 

Para o professor, os alunos são pedras brutas a serem lapidadas. O resultado de um trabalho de formação para a vida beneficia a todos. “Quando o professor ensina ou educa, também está aprendendo, o que é muito gratificante”, comenta.  Aos 60 anos, pula da cama cedo todos os dias. Às 6h, está pronto para partir rumo à sua meta diária: pedalar 20 km. Começa com exercícios de aquecimento e vai para a bicicleta, que fica na academia que tem em casa. Quando a TV não o faz companhia, aproveita o tempo para treinar o poder de concentração. Remo e abdominais completam a lista de atividades.

Acostumado à prática esportiva, o professor traz em seu histórico três maratonas, concluídas na década de 80. “Todas as provas aconteceram no Rio de Janeiro. No período de preparação, chegava a correr todos os dias durante quatro horas até Batatais”, lembra. Para ele, a prática de atividade física significa mais do que cuidar da saúde. “É um momento meu, para descontrair e aliviar o estresse do dia a dia”, acrescenta Puntel. Em outros tempos, foi adepto do Frugivorismo, rotina alimentar que inclui apenas verduras e legumes, mas, atualmente, apenas doces e gorduras ficam de fora do seu cardápio. 

Família
Natural de Guaxupé, o professor é um típico mineiro. Pai de duas filhas e avô de quatro netas, valoriza cada momento de diversão em família. “Para mim, estar na companhia delas é o principal. Ver minhas netas correndo por todos os cantos é o que me faz feliz”, declara Puntel. Inserido em um universo cor de rosa, identifica-se com a visão de mundo delas — para ele, o lado poético da vida tem muito a ver com as questões femininas. “O meu dia a dia é feminino e ter esse lado aguçado só me ajuda como escritor”, explica. 

Sobre a vida
“Viver é como andar de bicicleta, não pode parar de pedalar. Em outras palavras, parafraseando Gonzaguinha não se pode ter vergonha de ser feliz.” 

Música como hobby
Tendo uma família bastante musical, Puntel frequenta, há alguns anos, aulas de teclado. “Estudo um pouquinho para tentar suprir minha ausência nesse quesito. Isso porque, sempre que nos reunimos, minha tia e sobrinha nos reaproximam da música. Mas como analfabeto musical que sou, não me cobro muito — minha pretensão é a de apenas conhecer as notas e os acordes”, garante. Planejamento, para ele, algo vital para a superação e a convivência com todos e em todos os aspectos da vida. “O importante é estabelecer metas e projetos. Sem eles, a vida se transforma numa mesmice chata”, argumenta.